“Trump é racista, bandido e trapaceiro”, diz ex-advogado do presidente

Michael Cohen conta como era instruído pelo ex-chefe a mentir sobre assuntos particulares e os laços do presidente com a Rússia

Donald Trump “é um racista, um bandido, um trapaceiro”, disse Michael Cohen, o ex-advogado pessoal do presidente norte-americano, Donald Trump, ao dar início a seu testemunho explosivo nesta quarta-feira 27 diante do Congresso dos Estados Unidos. As acusações foram feitas ao comitê de inquérito da Câmara dos Representantes, em Washington D.C.

A longa declaração do advogado traça um retrato devastador do 45º presidente dos Estados Unidos, para quem Michael Cohen, de 52 anos, começou a trabalhar em 2007. Com a voz trêmula, Cohen falou aos parlamentares norte-americanos de sua família, se desculpando por ter agido mal, a serviço de Trump.

Em tom austero, Michael Cohen afirmou que Donald Trump sabia com antecedência das revelações do WikiLeaks sobre a rival democrata Hillary Clinton, durante a campanha presidencial norte-americana. “Me perguntaram se eu sabia de alguma evidência direta de que Trump, ou sua equipe de campanha, havia tramado com a Rússia nesta época. Quero ser claro, não tenho provas, mas tenho suspeitas”, disse.

Ele também explicou como foi instruído por seu ex-chefe a mentir sobre um projeto imobiliário na Rússia, no meio da campanha presidencial de 2016 nos Estados Unidos. Sinal das tensões políticas em torno de todo o caso, a abertura dos debates, transmitido ao vivo, foi marcada por uma grande discussão entre os republicanos, aliados de Donald Trump, e o presidente democrata da comissão, Elijah Cummings.

Mentiras

Desde terça-feira 26, a Casa Branca e o próprio Donald Trump, que está no Vietnã para sua segunda cúpula com o líder norte-coreano Kim Jong-un, atacam a credibilidade do ex-advogado, sentenciado em dezembro a três anos de prisão por evasão fiscal, perjúrio e violação do código eleitoral. Proibido de atuar como advogado, ele será preso no dia 6 de maio.

“Michael Cohen foi um dos muitos advogados que me representaram, infelizmente”, tuitou Donald Trump na quarta-feira. “Ele está mentindo para reduzir sua sentença”, disse o presidente norte-americano.

Impeachment?

Jackie Speier, um parlamentar democrata que participa da comissão de investigação no Congresso, chegou a mencionar a palavra “impeachment” em uma entrevista na rádio pública NPR, dizendo que se o depoimento de Cohen fosse “tão explosivo quanto parece”, isso poderia fornecer a base para o “início do processo de impeachment” do presidente norte-americano.

Na terça-feira 26, Michael Cohen deu início aos três dias de audiências perante o Comitê de Inteligência do Senado. Ele forneceu explicações sobre suas mentiras iniciais durante uma primeira audiência em 2017, incluindo contatos com funcionários russos sobre o projeto imobiliário em Moscou de Trump, em 2016.

Facebook: Comente Aqui