EXPEDIENTE
Devido ao número de acusados no processo o julgamento foi dividio em duas sessões; a próxima será no dia nove de maio.

Tribunal do Júri condena 4 envolvidos na morte do pastor Anderson do Carmo

Fonte: Por Bruna Carvalho, Camille Couto e Felipe Romero da CNN

O Tribunal do Júri do Rio de Janeiro condenou quatro envolvidos no caso do assassinato do pastor Anderson do Carmo, marido da ex-deputada federal Flordelis.

 

Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis, foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão por falsidade ideológica.

 

Carlos Ubiraci da Silva, filho afetivo de Flordelis, foi inocentado da acusação de homicídio triplamente qualificado, mas condenado por associação criminosa com pena de dois anos e dois meses no semiaberto.

 

O ex-PM Marcos Siqueira Costa foi condenado a cinco anos e 20 dias de prisão, por associação criminosa e uso de documento falso, assim como sua esposa, Andrea Santos Mais – ela pegou quatro anos e três meses mais multa. Por não ter antecedentes sua pena foi menor.

 

Adriano era réu por homicídio triplamente qualificado e por tentativa de homicídio duplamente qualificada, por conta de episódios em que membros da família teriam envenenado a comida de Anderson, além de ser acusado de fazer parte de uma associação criminosa que articulou a morte do pastor.

 

O julgamento de quatro dos nove acusados de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo durou quase 24 horas. Pouco antes das 6h, a suspeição oral da acusação foi finalizada.

 

Os advogados de defesa começaram a falar em seguida. O Ministério Público tinha o direito a réplica, mas abriu a mão.

 

Devido ao número de acusados no processo, a juíza Nearis do Santos Carvalho Arce, da 3a Vara Criminal de Niterói, optou por dividir o julgamento em duas sessões. A próxima será no dia nove de maio.

 

André Luiz de Oliveira, filho afetivo de Flordelis, não foi julgado nesta etapa a pedido de seu advogado, que teve um problema de saúde. Ainda não foi definida quando acontecerá seu julgamento.

 

Flordelis segue presa na penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó. Flordelis teve seu mandato parlamentar cassado no dia 11 de agosto, após a Câmara dos Deputados ter votado de forma favorável à perda do cargo.

 

O plenário acompanhou a resolução aprovada pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.

 

Foram 437 votos a favor da cassação e apenas sete contra. A ex-parlamentar foi presa dois dias depois, em Niterói, região Metropolitana do Rio. Ela será julgada junto aos demais acusados, em nove de maio.

 

Em novembro de 2021, outros dois filhos da ex-deputada federal foram condenados pela morte do pastor Anderson do Carmo no Tribunal de Júri de Niterói.

 

Flávio Santos, filho biológico de Flordelis, é acusado de ser o autor dos disparos de arma de fogo. Lucas Cézar, filho adotivo da ex-deputada, é acusado de ter ajudado o irmão na compra da arma utilizada no crime.

Relembre o caso

O pastor Anderson do Carmo, de 42 anos, foi morto a tiros na madrugada de 16 de junho de 2019, na garagem da casa onde morava com a família em Pendotiba, na cidade de Niterói, região metropolitana do Rio.

 

Flordelis e mais 10 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público (MP) pelo assassinato, em 2019, de Anderson do Carmo de Souza, então marido da parlamentar. Na época, a então parlamentar não teve sua prisão pedida por conta da imunidade parlamentar.

 

Segundo o MP, dos 55 filhos biológicos e adotivos da pastora, sete estão envolvidos no crime, além de uma neta e outras duas pessoas.

 

No documento, o MP também cita que, por diversas vezes, Flordelis tentou manipular as testemunhas do processo que investiga a morte de Anderson do Carmo.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
COMENTE AGORA MESMO!