EXPEDIENTE
Prefeito teria agredido mulher após ser atingido por cerveja

Torneio de truco acaba com briga envolvendo prefeito de MS

Fonte: Por Edivaldo Bitencourt Do site O Jacare

Mais um caso para entrar para a anedota política de Mato Grosso do Sul: o prefeito de Camapuã, Manoel Nery (DEM) entrou na briga da assessora e derrubou dona de casa com soco após ser atingido por cerveja. A mulher não conseguiu registrar boletim de ocorrência na delegacia da cidade. A denúncia só foi oficializada cinco dias depois na Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande, a 126 quilômetros do município.

O prefeito de 50 anos também fez boletim de ocorrência por lesão dolosa contra a eleitora. Ele foi procurado, mas não retornou para dar a sua versão sobre o assunto. A Polícia Civil em Camapuã negou que tenha se negado a registrar a ocorrência envolvendo o chefe do Poder Executivo.

De acordo com o boletim de ocorrência, a confusão ocorreu durante torneio de truco por volta das 22h de sexta-feira, 8 de outubro deste ano, no Centro Conviver. O evento era parte das festividades de 73 anos de emancipação político-administrativa da cidade de 13,6 mil habitantes.

Conforme o boletim de ocorrência registrado no dia 13 deste mês, cinco dias após o fato, Elizene Corrêa da Silva, 34, estava no jogo de truco, quando passou a ser agredida verbalmente pela assessora da prefeitura, Keila Cristina Nunes da Silva, ex-mulher do seu atual companheiro.

No relato à polícia, ela contou que ficou nervosa e jogou uma lata de cerveja na assessora. Parte da bebida se espalhou e atingiu os presentes, entre os quais, o prefeito de Camapuã. Manoel Nery desferiu um soco na altura do pescoço e derrubou a dona de casa. A agressão não deixou lesão grave.

De acordo com o jornalista João de Oliveira, do Desafiando Conversa Fiada, a dona de casa não conseguiu fazer o boletim de ocorrência em Camapuã. Ela foi obrigada a se locomover até Campo Grande para conseguir fazer a denúncia na Casa da Mulher Brasileira.

Por meio da assessoria de imprensa da Delegacia Geral da Polícia Civil, o delegado Leonardo Fernandes explicou “que ela não compareceu a delegacia para fazer o registro”. Na versão do titular da delegacia local, a dona de casa “optou em vir registrar na especializada em Campo Grande”.

Por outro lado, o prefeito não teve problemas e conseguiu registrar o boletim de ocorrência contra a dona de casa por “lesão corporal dolosa” na delegacia da Polícia Civil de Camapuã. “A ocorrência registra aqui na Capital já foi encaminhada para a DP de lá e os dois fatos já estão sendo investigados”, informou a assessoria.

O Jacaré procurou a assessoria da prefeitura na sexta-feira (22), mas a informação era de que o prefeito estava em Campo Grande. O democrata foi procurado por meio do whatsapp, leu as mensagens sobre o assunto, mas não retornou.

Não é a primeira vez que políticos agridem eleitores em Mato Grosso do Sul. Em maio de 2018, o prefeito de Terenos, Sebastião Donizete Barraco (PMN), agrediu um eleitor que o havia criticado no Facebook. Ele usou o mesmo recurso do camapuanense e desferiu um soco no desafeto durante uma festa de rodeio.

Em nota oficial, Barraco confirmou a agressão e a atribuiu ao “calor do momento”. Contudo, ele acabou pedindo desculpas à população da cidade e prometeu não usar a violência para rebater as críticas ao seu trabalho.

André Puccinelli (MDB) também foi acusado de agredir um eleitor no primeiro mandato como prefeito de Campo Grande. Na ocasião, ele ficou irritado com um petista histórico, que estava distribuindo panfletos com críticas a sua administração.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!