EXPEDIENTE
Em jogo história, Real conseguiu mais uma virada histórica

Rodrygo salva, Real elimina City em virada épica e vai à final da Champions

Fonte: UOL

Se fosse filme, diriam ser forçado demais. O Real Madrid fez história de novo, venceu o Manchester City por 3 a 1 em mais uma virada inacreditável e garantiu vaga na final da Liga dos Campeões.

 

Mahrez abriu o placar, mas Rodrygo foi o herói com dois gols em dois minutos, e Benzema fechou o placar na prorrogação.

 

Dono de 13 títulos europeus, o Real Madrid chega a sua 17ª decisão de Liga dos Campeões.

 

O clube já foi campeão espanhol no sábado (30), por isso só cumpre tabela até o dia 28, em Paris, quando vai repetir contra o Liverpool a final de seu último título (2017-18). O City tenta salvar a temporada com o Campeonato Inglês, do qual é líder a três rodadas do fim.

 

Ele começou no banco porque Carlo Ancelotti preferiu um meio-campo mais marcador, com Valverde na direita.

 

O Real Madrid ficou travado por mais de uma hora em campo, até que Rodrygo entrou no jogo, virou alternativa pelo lado e foi fundamental para tirar o City do jogo confortável que tinha até ali.

 

No finalzinho, já no desespero, fez dois gols históricos para levar tudo à prorrogação. Noite mágica do camisa 21, o primeiro da história do mata-mata da Champions a marcar dois gols depois do minuto 90.

 

Ancelotti parecia não querer um jogo tão aberto como em Manchester, talvez por isso tenha escalado o marcador Valverde em vez do criativo Rodrygo.

 

Se foi essa a intenção, deu certo: o primeiro tempo de fato foi mais travado do que no jogo de ida. O problema era que o Real Madrid precisava de gols, e a escolha do técnico permitia ao City concentrar a marcação em Vini Jr. e Benzema.

 

O time merengue teve chances em um raro cabeceio sem direção de Benzema e uma cobrança de falta perigosa de Kroos, mas foi ao intervalo com o placar sem gols.

 

City aperta e joga com a bola

 

A vantagem de um gol não mudou a postura do City, que marcou no campo adversário e deu trabalho em todas as saídas de bola. Às vezes o Real conseguia sair, mas nunca escapar com perigo real de gol.

 

O time inglês roubou bolas perto da área e só não abriu o placar porque Courtois fez milagre em chute de Bernardo Silva. Gabriel Jesus e Foden também tiveram boas chances em 45 minutos de um jogo de segurança dos ingleses.

 

O Real Madrid burocrático quase deu o bote no primeiro lance do segundo tempo. A jogada ensaiada na saída de bola virou um cruzamento perfeito, mas Vini Jr. perdeu de forma incrível na pequena área.

 

O brasileiro era o mais acionado, mas vivia cercado pela marcação e acabou tendo atuação muito aquém do que poderia. O Real ainda insistiu por mais 20 minutos neste esquema até Rodrygo entrar no lugar de Kroos —com ele em campo, aí sim as coisas aconteceriam.

 

City faz um gol, mas não resolve

 

Se o Real parecia dependente de suas estrelas, o City, ao contrário, construiu seu gol em lance coletivo. Bernardo Silva carregou bem e deu passe na direita, Gabriel Jesus congelou a marcação ao deixar a bola passar, e Mahrez bateu forte para abrir o placar.

 

Com a vantagem, o time inglês tentou controlar o ritmo até o final, mas perdeu um gol que custaria caríssimo: Grealish fez belíssima jogada individual e bateu tirando de Courtois, mas Mendy salvou de forma espetacular, em cima da linha, no lance que mudou o jogo.

 

O Real Madrid já tinha ressuscitado nas oitavas contra o PSG e nas quartas contra o Chelsea, mas hoje parecia não ter forças para repetir o feito.

 

O time não tinha um chute sequer na direção do gol até o minuto 90, mas Rodrygo tinha uma carta na manga. Ou melhor, duas.

 

Ele empatou o jogo após ajeitada de Benzema para trás (veja acima) e virou logo no lance seguinte, de cabeça, o gol da salvação que levou tudo à prorrogação (assista abaixo).

 

Benzema decide na prorrogação

 

A empolgação dos acréscimos empurrou o Real Madrid ao ataque na prorrogação. Aos cinco minutos, Benzema finalmente teve um daqueles lances geniais que ele tornou rotina nesta Champions: foi esperto ao adiantar-se à marcação de Ruben Dias e deixou o corpo para sofrer o pênalti; bateu com segurança e fez o 3 a 1.

 

O City demorou para absorver o golpe, mas depois foi para cima no desespero. Na melhor chance, dentro da pequena área, Fernandinho se esticou todo mas não conseguiu alcançar a bola a centímetros do gol.

 

Ficha técnica

Real Madrid 3 x 1 Manchester City

Data e horário: 4 de maio de 2022, às 16h (de Brasília)

Local: Santiago Bernabéu, em Madri

Competição: Liga dos Campeões, semifinal (volta)

Árbitro: Daniele Orsato (Itália)

Assistentes: Ciro Carbone e Alessandro Giallatini (ambos da Itália)

Cartões Amarelos: Modric, Carvajal, Militão, Valverde (Real); Laporte, Sterling, Zinchenko (City)

Gol: Mahrez, aos 28 do segundo tempo (City); Rodrygo, aos 45 e 46 minutos do segundo tempo, e Benzema, aos 5 minutos da prorrogação (Real).

Real Madrid: Courtois; Carvajal, Éder Militão (Vallejo), Nacho e Mendy; Casemiro (Asensio), Toni Kroos (Rodrygo), Valverde, Modric (Camavinga) e Vinícius Jr. (Vázquez); Benzema (Ceballos).

Técnico: Carlo Ancelotti.

Manchester City: Ederson; Walker (Zinchenko), Rúben Dias, Laporte e Cancelo; Rodri (Sterling), Bernardo Silva e De Bruyne (Gundogan); Phil Foden, Mahrez (Fernandinho) e Gabriel Jesus (Grealish). Técnico: Pep Guardiola.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
COMENTE AGORA MESMO!