Pressionada, Energisa promete ‘abrir’ balanço financeiro para deputados de MS

Foto: Richelieu Pereira

Aliny Mary Dias e Richelieu Pereira do Midia Max*

Deputados e representantes da concessionária Energisa, incluindo o presidente Marcelo Vinhaes, se reuniram, na tarde desta quarta-feira (13), para discutir sobre as reclamações de consumidores que relataram aumento abusivo nas contas de janeiro. Segundo o presidente da companhia, balanço financeiro da concessionária deve ser entregue aos parlamentares.

O encontro, que reuniu vários deputados, foi presidido por Marçal Filho (PSDB), Pedro Kemp (PT) e Herculano Borges (SD). Entre as justificativas apresentadas pela concessionária sobre o aumento das contas está o forte crescimento de consumo e as altas temperaturas no fim e começo deste ano.

A diretoria da Energisa afirmou, ainda, que municípios atendidos pela concessionária Elektro, entre eles Três Lagoas, também sentiram aumento nas contas. Além do forte calor, a empresa também afirma que variação da alíquota do ICMS contribui para aumento nas contas.

Outro dado apresentado aos deputados foi de que nos meses de março e dezembro do ano passado a Energisa precisou comprar energia extra para atender a demanda dos sul-mato-grossenses. Depois de pedido dos parlamentares, o presidente Marcelo Vinhaes afirmou que balanço financeiro da empresa poderá ser encaminhado à Assembleia se houver pedido formalizado pelos parlamentares.

A diretoria da concessionária também afirma que o aumento no consumo da eletricidade em dezembro nas 74 cidades atendidas pela empresa seria suficiente para abastecer, por um mês, as cidades de Corumbá, Ponta Porã e Dourados, que juntas têm cerca de 400 mil habitantes.

Recorde de reclamações

Superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão também participou do encontro e revelou que só neste mês de janeiro a quantidade de reclamações de consumidores por valores abusivos na conta de energia supera em 50% o número de reclamações da segunda colocada no ranking.

Até o momento, a Energisa contabiliza 3 mil reclamações no Procon. Salomão afirmou também que técnicos da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) foram chamados para virem a MS analisar o consumo no Estado.

Facebook: Comente Aqui