EXPEDIENTE
Pesquisa foi realizada entre setembro e dezembro de 2021

Prefeitura e IFMS divulgam resultados de pesquisa voltada ao comércio e serviços do município

Fonte: Assessoria de Comunicação

Buscando um cenário que vise uma maior eficiência na oferta de cursos de capacitação para o mercado de trabalho, e consequentemente uma melhora na qualidade do emprego e da renda no município, bem como mensurar a confiabilidade para se investir em Ponta Porã, a Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo (SDICT) em parceria com o Instituto Federal do Mato Grosso do Sul, campus de Ponta Porã, desenvolveu uma pesquisa que apontou entre outros cenários, quais as reais demandas por cursos de capacitação voltados ao mercado de trabalho para os setores do comércio e serviços do município, além de indicar o nível de empreendedorismo local e de confiança quando o assunto é a abertura de novos negócios.

Desta forma o Secretário Municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo de Ponta Porã (SDICT), Caio Augusto César de Souza Moraes, entregou na última quarta-feira (09/02/2022), o Relatório Final da Pesquisa ao Diretor Geral da IFMS em Ponta Porã, Prof. Dr. Izidro dos Santos Lima Júnior, e agradeceu por mais esta parceria de sucesso. 

“Quando assumimos a Secretaria, tínhamos alguns objetivos centrais colocados pelo nosso prefeito Hélio Peluffo, um deles era aproximar as Instituições de Ensino Superior para auxiliar nos projetos existentes no município, bem como elaborar novas ações, e diante disso, posso dizer que a IFMS de Ponta Porã, tem sido um destacado e eficiente parceiro, com importantes projetos em prol de agricultura familiar, além de ações voltadas ao empreendedorismo e pesquisas voltadas ao turismo e comércio, como esta atual.” – destacou Caio Augusto.   

A pesquisa foi realizada entre os meses de setembro a dezembro de 2021, e durante este período foram entrevistados 394 estabelecimentos em diferentes regiões da cidade, com uma concentração maior na área central. Além das entrevistas presenciais, nos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, também foram realizadas entrevistas virtuais, através do envio dos formulários, com objetivo de contemplar uma maior amostragem para o levantamento. 

Aplicada e tabulada por estudantes do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, do campus de Ponta Porã, como requisito de conclusão do estágio obrigatório, a pesquisa foi coordenada pelo economista e assessor técnico da SDICT, Prof. Me. João E. B. Caetano, com o apoio do Coordenador de Extensão e Relações Institucionais do IFMS/PP, Prof. Dr. Eber Agusto Ferreira do Prado. 

De um modo geral, os resultados obtidos foram satisfatórios, pois orientam de forma eficiente a oferta de cursos de capacitação para o mercado de trabalho que realmente atendam as necessidades do setor de comércio e serviços de Ponta Porã, além de indicar outros importantes elementos para o setor de comércio e serviços, neste sentido cabe destacar alguns resultados. 

 

RESULTADOS 

Constatou-se que a média de tempo de abertura das empresas e prestadores de serviços entrevistados foi de 10 anos de atividade, com destaque para aproximadamente 20% dos entrevistados com mais de 20 anos de atuação no mercado. A pesquisa ainda apontou que 22% dos participantes possui ao menos uma filial da empresa e/ou prestadora de serviços.

Também foi levantado sobre a utilização de acompanhamento técnico especializado como, consultorias, assessorias e auditorias, na intenção de mensurar o nível de organização das empresas participantes. Das participantes 80,55% responderam que utilizam algum tipo de acompanhamento, seja de contadores e economistas, ou ainda de instituições como o SEBRAE e SENAC. 

Por sua vez, 19,44% relataram nunca terem utilizado nenhum tipo desse serviço. Destaca-se nesta situação a visão empreendedora de boa parte dos entrevistados, que atentos ao mercado e suas movimentações, estão sempre buscando algum tipo de orientação técnica fundamental para a saúde financeira de qualquer empreendimento.

Outro importante dado levantado pela pesquisa é referente ao nível de confiança dos empreendedores em relação ao município de Ponta Porã. Ou seja, como avaliam o município quando se trata de um ambiente para seu empreendimento. Desta maneira, 82,8% dos entrevistados avaliaram o município como BOM ou ÓTIMO o ambiente empresarial para seu empreendimento. Enquanto 11,8% avaliaram como REGULAR e apenas 5,4% como RUIM. 

Destaca-se que esta informação possui uma grande relevância para a economia local. Pois o nível de confiança de um ambiente empresarial é o que determina o nível de investimentos nesta economia, sejam investimentos internos, quanto externos. Quando se possui confiança no ambiente empresarial, este se torna mais atrativo, seja para a ampliação dos negócios já existentes, ou ainda para o surgimento de novos empreendimentos.

Sobre os cursos de capacitação para o mercado de trabalho, os entrevistados poderiam indicar mais de uma sugestão de cursos, desta forma o percentual total não pode ser mensurado em números absolutos. 

Diante disso, 75,3% dos entrevistados indicaram a necessidade de cursos na área de Atendimento ao Público (secretariado, recepcionista, etc.), por sua vez 43,8% das sugestões foram na indicação de cursos na área de Gestão (técnico em RH, assistente financeiro, assistente administrativo, técnico contábil). 

Já para 24,7% existe a necessidade de maior oferta de cursos na área de Serviços Gerais (conservação e limpeza, estoquista, estivador, etc.), e para 19,1% também indicaram a necessidade de cursos na área de Tecnologia (designer gráfico, técnico em informática, operador de computador, programação). Também foram demandados cursos na área do Agronegócio, 5,6% (operador de máquinas, técnico agrícola, técnico em agricultura de precisão) e 1,1% indicaram ainda a necessidade de mais cursos na área de Medicina.

Desta forma, conforme apontou o relatório final da pesquisa, a oferta direcionada dos cursos de capacitação irá ampliar a qualidade do emprego e o tempo de permanência dos trabalhadores em seus postos de trabalho, aumentando sua renda e qualidade de vida. Além disso, também foi possível detectar com o levantamento aspectos importantes como a “visão empreendedora” dos entrevistados, que fortalece o ambiente empresarial do município, bem como o “nível de confiança” desses empreendedores, quando se trata de avaliar Ponta Porã como um ótimo ambiente de negócios.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
COMENTE AGORA MESMO!