EXPEDIENTE
Na semana passada, três irmãos foram resgatados pelo Conselho Tutelar

Pais de crianças resgatadas após maus-tratos já foram denunciados por morte de bebê em Campo Grande

Fonte: Por Thatiana Melo Do Midiamax

As três crianças de 3, 4 e 7 anos, resgatadas na última sexta-feira (1º), em Campo Grande, são irmãs de um bebê de seis meses que morreu no dia 22 de junho de 2019, vítima de maus-tratos. Na época, o pai e a mãe foram investigados como autores do crime, registrado como maus-tratos se do fato resulta morte. Os pais chegaram a ser denunciados na Justiça, mas, segundo apurou o Jornal Midiamax, o processo foi arquivado em janeiro do ano passado por falta de provas.

Os tios das três crianças foram encaminhados para a Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) e negaram o crime de maus-tratos envolvendo os menores. Eles disseram aos policiais que as crianças haviam caído. O tio chegou a relatar aos militares que tinha a tutela das crianças devido ao fato de sua esposa não poder ter filhos.

Mas, uma testemunha contou que as crianças estavam com o tio porque o pai havia sido preso em 2019 — após a morte do bebê de 6 meses — e que constantemente são vítimas de agressões por parte do homem. Inclusive, ele teria sido flagrado batendo em um dos sobrinhos no dia em que foi levado para a delegacia.

Os sobrinhos eram orientados pelos tios a mentirem sobre os hematomas pelo corpo. Eles tinham de dizer que haviam caído para justificar os machucados. O Conselho Tutelar acompanha o caso das crianças há tempos e, de acordo com informações, tinham feito um ‘acordo’ com o tio para que não batesse mais nos sobrinhos.

A morte do bebê

A morte do bebê de 6 meses aconteceu no dia 22 de junho de 2019. A criança foi levada para um posto de saúde do Nova Bahia, por volta das 15 horas, depois de ser encontrada no carrinho com corpo frio e sem movimentos.

O GOI (Grupo de Operações e Investigações) da Polícia Civil foi acionado para ir até a unidade de saúde depois da comunicação da morte. De acordo com os médicos que atenderam o bebê, ele deu entrada com palidez, pele fria, rigidez nas mãos e mandíbula, e com lesão escarificada nos testículos e pênis, apresentando odor fétido.

Em relato à polícia, a mãe do bebê contou que havia amamentado o filho e colocado ele no carrinho. Depois, por volta das 9 horas da manhã, deu mais uma mamadeira para o bebê e foi fazer o almoço.

Já por volta das 14 horas, o marido — de quem ela disse que iria se separar — foi até o carrinho e percebeu que o bebê não se mexia. Assim, levaram a criança para a unidade de saúde, mas o bebê já estava morto. No mesmo dia, os dois foram levados para a delegacia e o caso registrado como crime de maus-tratos, se do fato resulta morte.

Processo arquivado

No registro a que o Midiamax teve acesso, o pai e a mãe figuram como autores do crime. O pai chegou a ficar preso por 25 horas em razão dos maus-tratos, mas foi solto em seguida. Pai e mãe responderam ao processo em liberdade.

Não há muitos detalhes sobre a investigação da Polícia Civil sobre o caso. No entanto, a reportagem apurou que o pai e a mãe chegaram a ser denunciados à Justiça e se tornaram réus. O processo tramitou na 7ª Vara Criminal de Campo Grande e foi arquivado em janeiro de 2020, após o Ministério Público Estadual se manifestar contrário ao seguimento da ação. Para a promotoria, não havia elementos suficientes para a sequência do processo.

O Judiciário acatou a manifestação do MP e decidiu pela extinção da ação, no entanto, pai e mãe foram impedidos de conviver com os outros três filhos em razão de medida protetiva expedida pelo Judiciário. Por isso, as crianças vivem com familiares.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!