EXPEDIENTE
Ministério da Saúde confirmou a retirada, mas afirmou que foi a pedido dos próprios autores do estudo.

Órgão da Saúde retira de pauta análise de estudo contra droga ineficaz para Covid; CPI atribui a Bolsonaro

Fonte: Por Valdo Cruz e Raquel Porto Alegre

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, órgão consultivo do Ministério da Saúde, retirou da pauta desta quinta-feira (7) a análise de um estudo de especialistas contra o uso de cloroquina contra a Covid. O remédio é comprovadamente ineficaz para a doença.

A informação do adiamento foi dada pela rádio CBN na noite desta quarta-feira (6).

 

Ao blog, o vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que o presidente Jair Bolsonaro interferiu para a retirada de pauta

“A informação é que o presidente Jair Bolsonaro, que defende o uso da cloroquina, se irritou com o ministro Marcelo Queiroga e determinou que o estudo não fosse analisado agora, às vésperas de a CPI votar seu relatório que vai exatamente pedir o indiciamento do presidente por defender o tratamento precoce com o kit-covid”, disse o senador Randolfe Rodrigues.

Durante a sessão da CPI, a comissão aprovou um requerimento para que a Conitec envie o estudo em até 24 horas e explique por que adiou a análise.

O Ministério da Saúde confirmou a retirada de pauta do estudo, encomendado pelo ministro Marcelo Queiroga a uma equipe do médico Carlos Carvalho.

A pasta alega, contudo, que a solicitação teria sido feita pelos próprios autores da análise, diante do surgimento de novas informações sobre outros medicamentos que estariam sendo defendidos.

A retirada teria como motivo, segundo o ministério, atualizar o estudo antes que ele fosse analisado pela Conitec.

Segundo Carlos Lula, presidente do Conselho de Secretários Estaduais de Saúde, que participa do Conitec, contudo, a decisão de retirar a análise da pauta foi “de cima para baixo”.

O que diz a CPI

 

A cúpula da CPI da Covid diz ter uma informação diferente da divulgada pelo Ministério da Saúde.

“Técnicos foram informados da retirada apenas ontem à noite, na véspera da reunião do Conitec, e ficaram insatisfeitos. O governo não quer que um órgão desautorize o presidente da República, que insiste no tratamento precoce com cloroquina”, acrescenta o senador Randolfe Rodrigues.

O vice-presidente da CPI da Covid disse que, diante da informação, vai pedir ao presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), para que não descarte um último depoimento do ministro Marcelo Queiroga.

E também porque, até agora, ele não respondeu a questionamentos encaminhados pela comissão. O prazo termina nesta quinta (7).

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!