Olavo de Carvalho volta a criticar militares no Brasil

Eduardo Bolsonaro e Olavo de Carvalho (Reprodução/Facebook)

Por Revista Fórum*

Após pedir que os seus discípulos deixem o governo Jair Bolsonaro (PSL), o guru ideológico do clã Bolsonaro foi ao Twitter neste sábado (9) para criticar os “fominhas” por cargos públicos e disse que dedicou a vida a curar a alma do Brasil: “não a aprimorar a administração do puteiro”.

“Sempre pensei que, se o meu trabalho viesse a ter efeitos políticos, eles seriam de longuíssimo prazo e totalmente incontroláveis, que portanto pensar muito neles seria pura punheta. Dediquei minha vida a curar a alma do Brasil, não a aprimorar a administração do puteiro”, tuitou Olavo, que abriu guerra contra o núcleo militar do governo, que provocou racha no governo está sendo travada nas redes sociais.

Em uma sequência de tuítes, Olavo diz que “oficiais militares induzem o ministro Velez a tomar atitudes erradas e depois lançam a culpa nos meus alunos”. “São trapaceiros e covardes”, tuitou.

Ele afirmou ainda que “nenhum olavette foi demitido do Ministério da Educação. Foram apenas transferidos para cargos politicamente inócuos”.

Segundo Olavo, “melhor maneira de não entender nada do meu trabalho é tentar enxergar nele um objetivo político”. “Cargos públicos são pedaços daquele bolo do vídeo. Tem gente que mata a mãe por um deles”, tuitou o astrólogo.

Ações dos grupos de educação
Na sequência, Olavo ainda publicou a variação das ações de dois grandes grupos educacionais, a Kroton e a Estácio Participações, que registraram alta na bolsa de valores, supostamente após o anúncio da demissão dos “olavettes”.

Segundo ele, está aí “a chave da encrenca toda”.

Facebook: Comente Aqui