O retorno do Corneteiro

                Depois de quase um ano em silêncio, o Corneteiro retorna para comentar os fatos de forma singular e honesta.

                Para seu retorno, o Corneteiro escolheu o primeiro dia da semana, do novo ano religioso, segundo a Bíblia, ou seja, após o início da última lua nova antes do período pascal para buzinar com sua opinião sobre os fatos.

Essa semana foi propícia para comentarmos as fofocas que por aqui rolam, sobre os relacionamentos conjugais de quem habita pela fronteira, mas contrariando esta falácia, vamos tocar nossa corneta apenas para comentar fatos que são de interesse público, e que os fofoqueiros espalhem as falas das vizinhas da forma popular, sem nossa contribuição.

Vamos ao que interessa!

                Passeando pela cidade de Ponta Porã percebo munícipes descontentes, creio que seja necessário o corneteiro ampliar sua caminhada em busca de pessoas satisfeitas e contentes.  Há quem reclame da sensação de insegurança, há quem reclame dos buracos da cidade, há quem reclame da falta de estacionamento na área central,  há quem reclame da situação precária da saúde pública, há quem reclame das rotatórias que ainda não foram retiradas para que o trânsito passa fluir melhor, há e não são poucos, os que reclamam dos semáforos que tecnicamente não resolvem, mas dão maior agilidade ao tráfego norte-sul para quem trafega pela rua Antônio João e há quem reclame de quem só reclama. Mas o fato é que o número dos satisfeitos, se estes existem na fronteira é cada vez mais ínfimo.

                               Há quem trabalhe!

                Diante de tamanha e notória insatisfação por parte dos munícipes da fronteira, o corneteiro percebeu um intenso desejo de não poucos agentes públicos buscando soluções para os não poucos problemas. No Poder Legislativo Municipal da Fronteira, por exemplo, pude perceber que desde o presidente da Câmara até o Presidente da CCJ, os vereadores, dentro de suas limitações, tem buscado agir. Nos últimos dias, vimos discursos fortes, reuniões, e houve até quem viajasse buscando parceria no Governo Federal para que a perceptível falta de investimento do governo federal e do governo estadual na faixa de fronteira, principalmente na Segurança Pública e na Saúde seja solucionada. Esperamos que o empenho destes proporcione resultados e não pare por ai!

                Tem lugares piores

                Se a situação em Ponta Porã não é das melhores, maior insatisfação percebemos entre os munícipes das principais cidades do Estado, Dourados é a campeã, as ruas da cidade se encontram aparentemente abandonadas, os representantes do executivo e legislativo sem prestígio e há quem esteve em Dourados e retornou a Ponta Porã e deu glória a Deus, arriscando elogios a administração municipal da Princesinha dos Ervais.    

100 dias de Desgoverno

 O novo governo Federal chega a 97 dias e completará 100 dias durante esta semana, construindo uma espécie de bomba religiosa ao desagradar a maioria dos crentes da nação, independentemente da crença a qual professem, Bolsonaro, o católico que se diz sionista e foi eleito com votos dos evangélicos do Brasil, parece não conseguir cumprir suas promessas ideológicas na política internacional. Com um discurso pseudo-patriota e um comportamento que favorece apenas estrangeiros que não precisam de nosso auxilio e possivelmente imaginam ser o Brasil, uma ilha paradisíaca cheia de selvas, matas e praias, Bolsonaro decepciona seus principais apoiadores e se mostra engessado sem conseguir se quer se articular para atender aos desejos, muitas vezes asquerosos, de parte de seus eleitores.

                Continuidade da velha Política

Sendo assim, o governo que nasceu na promessa de combate a corrupção, dá ares de que começará a barganhar cargos para a possibilidade da aprovação de uma reforma de previdência desumana, pontue-se é nítido que há necessidade de reformas, mas não esta que tira de quem não tem para ampliar as esmolas e benefícios para quem muito tem.

Recuo

O governo que nasceu sob a promessa do reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, caminha para um recuo que até agora desagradou cristãos, muçulmanos e judeus. Em vez da prometida mudança de embaixada, ao que parece, a criação do escritório em Jerusalém apenas confirma a fraqueza do engessado início de governo que recebe o maior índice de desaprovação em primeiro governo da história da pseudo redemocratização. Explico: Chamo pseudo, porque creio ser muito contraditório incluir este tempo em que se comemora duas décadas de ditadura e repressão como parte de uma democracia.

                Resolveu todos os problemas do Brasil

Diante de 97 dias de fracasso, o governo decidiu resolver todos os problemas do país e elegeu o seu culpado, o horário de verão. No Brasil com um poder judiciário questionável pela sua atuação muito distante da imparcialidade, no Brasil com mais de 12 milhões de desempregados, onde cresce diariamente o número de pessoas jurídicas e físicas que entram para a lista de inadimplência, o nosso gênio, feito presidente, soluciona todos os problemas da nação com o fim do horário de verão.

Após isso, não há o que acrescentar. Espero que esta corneta ecoe e possamos nos encontrar na próxima semana!

Facebook: Comente Aqui