CONTATO
EXPEDIENTE
Governo Bolsonaro

Nordeste mantém alta taxa de reprovação a Bolsonaro mesmo com auxílio emergencial

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
Fonte: Por Ivan Longo, de Fórum

6ª Pesquisa Fórum mostra que a taxa de reprovação do presidente Jair Bolsonaro no Nordeste segue alta: 58,6% dos nordestinos reprovam o governo, enquanto a aprovação do presidente na região é de 41,4%. Nacionalmente, 51,9% dizem que aprovam o governo e 48,1% desaprovam.

A pesquisa mostra que as mulheres nordestinas são mais críticas ao governo que os homens. Entre os homens nordestinos, 47,2% dizem aprovar o governo e 52,8% reprovam. Entre as mulheres, somente 35,7% aprovam e 64,3% reprovam a gestão.

O levantamento mostra ainda que a reprovação de Bolsonaro é maior que a aprovação não só entre os mais pobres, mas também entre os mais ricos. 54,2% dos moradores do Nordeste que recebem 10 ou mais salários mínimos mensais reprovam o governo, enquanto 45,8% aprovam.

Entre os mais pobres – pessoas que recebem até 2 salários mínimos – a rejeição é maior: 61%. A aprovação do governo neste segmento é de 36,9%.

A pior avaliação de Bolsonaro no Nordeste está entre os mais jovens. 76,3% da população nordestina que tem entre 16 e 24 anos reprovam o governo, enquanto somente 23,7% deste grupo aprova. Já a aprovação do presidente na região é maior entre os mais velhos: 52% das pessoas com 60 anos ou mais aprovam o governo, enquanto 48% reprovam.

No recorte por escolaridade, destaca-se a reprovação do governo entre os nordestinos que possuem o Ensino Médio: 61,9%, contra 38,1% de aprovação. Já os que possuem Ensino Superior estão mais divididos: 50,7% aprovam o governo e 49,3% reprovam.

Em 2020, principalmente a partir de agosto, o presidente iniciou uma empreitada para tentar aumentar a popularidade na região: viajou para estados nordestinos diversas vezes – somente em agosto foram três ocasiões, e o capitão da reserva seguiu com as viagens nos meses seguintes e, a última, foi esta semana, para Aracaju (SE).

O presidente passeou de jumento, colocou chapéu de cangaceiro, tentou se mostrar como uma figura do “povo” e investiu até mesmo no som da sanfona em suas lives com o presidente da Embratur, Gilson Machado.

Muitos acreditavam que os nordestinos estariam “à venda” e que, com o auxílio emergencial e as incursões de Bolsonaro, o presidente conseguiria melhorar sua aprovação. De acordo com a Pesquisa Fórum, 46,5% dos moradores do Nordeste disseram ter recebido ou estar recebendo o auxílio emergencial. Na edição de julho da pesquisa, 39,5% dos nordestinos diziam aprovar o governo e 60,5% reprovavam

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
LEIA TAMBÉM!!!