EXPEDIENTE
Famílias forçaram mulheres a se casar para poder escapar do golpe no Afeganistão

Mulheres afegãs relatam casamentos forçados ao tentar fugir do país

Fonte: Priscilla Alvarez e Jennifer Hanslerda CNN

Autoridades dos EUA que auxiliam refugiados afegãos no exterior alertaram recentemente o Departamento de Estado sobre casos de mulheres e meninas que foram forçadas a se casar ou chegaram com parceiros do sexo masculino se passando por maridos para serem elegíveis para evacuação e escapar do Talibã, de acordo com duas fontes.

Os incidentes descritos por fontes da CNN foram revelados enquanto os afegãos estavam em um centro de trânsito no exterior. Eles ressaltam o desespero entre os afegãos para fugir do país após a tomada do Talibã – e o medo do que seu governo possa significar para mulheres e meninas.

Não está claro o quão difundido o assunto é, mas gerou preocupação suficiente para diplomatas americanos nos Emirados Árabes Unidos enviarem um telegrama.

As fontes disseram que algumas mulheres e meninas afegãs alojadas em um dos centros de evacuação nos Emirados Árabes Unidos relataram que suas famílias as forçaram a se casar fora do aeroporto de Cabul para que pudessem escapar do país quando o Talibã assumisse o poder. Em alguns casos relatados, as famílias pagaram aos homens elegíveis para evacuação milhares de dólares para se casarem ou se passarem por maridos para as mulheres fugirem.

‘Afeganistão inclusivo’

Uma das fontes disse que diplomatas americanos nos Emirados Árabes Unidos forneceriam orientação aos que trabalham no centro sobre como identificar potenciais vítimas de tráfico humano. Outro disse que o Departamento de Estado dos EUA indicou que coordenaria com o Departamento de Segurança Interna e o Departamento de Defesa.

CNN entrou em contato com o Departamento de Estado para comentar.

Os EUA contam com terceiros países como escalas temporárias antes que os afegãos voem para os EUA ou outros países. Uma vez nesses países terceiros, os afegãos são processados ​​e examinados antes de continuar suas viagens. Alguns estão viajando para os Estados Unidos, onde as autoridades estão usando uma série de bases militares para abrigar os evacuados.

Quando o Talibã governou o Afeganistão pela última vez, entre 1996 e 2001, eles fecharam escolas para meninas e proibiram as mulheres de trabalhar. Após a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2001, as restrições às mulheres diminuíram.

Desta vez, o Taleban está prometendo formar um “governo islâmico inclusivo no Afeganistão”, embora não esteja claro que forma isso ocorrerá e se a nova liderança incluirá mulheres.

A CNN relatou anteriormente sobre a preocupação compartilhada por mulheres afegãs que viram progressos nos últimos anos apenas com medo de que sejam perdidos.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!