CONTATO
EXPEDIENTE
Luta por dignidade

Movimentos sociais e petroleiros vão vender botijão de gás a R$40 e distribuir cestas básicas e máscaras de proteção

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
Fonte: Por Ivan Longo do Revista Forum

Como objetivo de atenuar os efeitos da crise social e econômica diante da omissão do governo Bolsonaro nas políticas de combate à pandemia e suas consequências, a Central de Movimentos Populares (CMP) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) realizarão, nesta quinta-feira (29), uma ação solidária em 11 cidades em que serão vendidos botijões de gás a cerca de R$40. Atualmente, o botijão cheio custa, em média, R$90, e há locais que esse preço chega a R$120, o que representa 12% do salário mínimo.

Além da venda de botijões a preço justo, os integrantes da CMP e os petroleiros vão distribuir cestas básicas e máscaras de proteção.

“Com a redução do auxílio emergencial para um valor que vai de 150 a 375 reais, a alta do preço dos alimentos, a política da Petrobras de acompanhar o preço de importação, que provoca constantes aumentos de preços dos combustíveis, ficou ainda mais difícil para as famílias mais pobres comprarem o gás de cozinha e se alimentarem”, diz um comunicado sobre a ação.

As sucessivas altas nos preços dos alimentos, inclusive, são associadas pela maior parte da população aos erros de Jair Bolsonaro. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de março de 2020 a março de 2021, ou seja, ao longo de um ano da pandemia do coronavírus, o preço dos alimentos subiu 15% em todo o país, bem acima da taxa de inflação do período, que foi de 5,20%. Não à toa que a campanha “Bolsocaro”, que faz essa associação entre a disparada dos preços e o governo Bolsonaro, tem tomado as ruas e as redes sociais.

Segundo a última edição da Pesquisa Fórum, realizada em março, 58% dos entrevistados acham que a alta dos alimentos é fruto dos erros do presidente. Essa percepção disparou, visto que no levantamento anterior, de novembro de 2020, o índice era de 53,6%, enquanto no mês anterior, em outubro, era de 48,6%.

“O nosso país apresenta um triste cenário de mortes, desemprego e fome, com o presidente Bolsonaro boicotando todas as medidas de prevenção à covid. Desde o início da pandemia a CMP tem promovido ações de solidariedade, mas sempre cobrando as responsabilidades do governo Bolsonaro e denunciando seus crimes contra o povo”, afirma Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Confira, abaixo, os locais onde a ação solidária será realizada nesta quinta-feira (29).

São Paulo – Centro de Promoção e Resgate à Cidadania do Grajaú (rua Torquato Tapajós, 166)
Brasília – Associação de Moradia do DF e entorno (Qn 12C, conjunto 8, casa 4)
Manaus – Centro de Referência de Combate à Violência contra a Mulher (rua Franco de Sá, 70)
Fortaleza – Associação dos Moradores do Jardim Jatobá (rua Boa Vista, 2007)
Salvador – Comunidade Bairro da Paz (rua da Resistência, 40)
Belém – Depósito de gás Pedreira Gás (travessa Angustura c/ avenida Antônio)
Rio de Janeiro – Binário do Porto, em frente à Grande Rio (rua Gamboa, 357)
Palmas (TO) – Comunidade Capadócia (quadra 612 Sul, AI 03 QI 02 A Lote 07)
Porto Velho – Comunidade Maravilha 2 (rua 5, casa 70, BR 319)
Ipatinga – Projeto Habitacional (rua Rio Jequitinhonha, 130)
Jaboatão dos Guararapes – Centro Comunitário Germinar (rua Andaraí, 101)

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
LEIA TAMBÉM!!!