Moro se recusa a responder sobre encontro com setor de armas alegando direito à privacidade

Sergio Moro pede silêncio

Por Diario do Centro do Mundo*

Moro se recusou a responder questionamento do PSOL que inquiria se representantes da empresa Taurus estiveram no ministério antes da edição do decreto que flexibilizou as regras para posse de armas, diz a Folha.

Alegou direito à privacidade para não fornecer informações solicitadas por meio de LAI (Lei de Acesso à Informação) no dia 18 de janeiro de 2019.

No pedido, são solicitados os registros eletrônicos de entrada e saída na pasta de Sérgio Castilho Sgrillo Filho, diretor de relações com investidores da Taurus, e Salesio Nuhs, presidente da empresa durante o mês de janeiro e início de fevereiro.

Na agenda pública do ministro não há registros de encontros com Nuhs ou Sgrillo. 

O PSOL também solicitou as mesmas informações referentes ao período do governo de transição, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil). 

O partido enviou questionamento para a Casa Civil. O Planalto, diferentemente de Moro, respondeu. (…)

Após a negativa de Moro, o PSOL protocolou um requerimento de informação na Câmara dos Deputados solicitando as mesmas informações a Moro. O pedido, que aguarda parecer do primeiro vice-presidente, Marcos Pereira (PRB-SP), deve ser respondido pelo ministro em até trinta dias. (…)

Segundo o PSOL, o pedido é “importante para esclarecer quem são os reais interessados na publicação do decreto que flexibiliza a posse de armas”.

Facebook: Comente Aqui