EXPEDIENTE
A Lei estabelece que os síndicos e os administradores deverão registrar a ocorrência e as informações que permitam a identificação da vítima e do autor do crime

Marçal instala placas de campanha contra violência doméstica em condomínios

Fonte: Assessoria de Comunicação

Condomínios em Dourados começaram a receber placas com orientações sobre a lei de combate à violência doméstica. De autoria do deputado estadual Marçal Filho (PSDB), a Lei estabelece que os síndicos e os administradores deverão registrar, por meio dos canais disponibilizados pelos órgãos de segurança pública, a ocorrência e as informações que permitam a identificação da vítima e do autor do crime.

A Lei é a 5.591, de 10 de novembro de 2020, que obriga os responsáveis pelos condomínios a registrar todas as ocorrências de violência contra mulheres, idosos, crianças e pessoas com deficiência que vierem a ter conhecimento.

Autor da Lei, o deputado Marçal tem confeccionado placas para colocar nos condomínios do Estado. Nesta semana ele esteve no residencial Roma III, em Dourados. O complexo de condomínio conta, ao todo, com 820 apartamentos e mais de 2,2 mil moradores.

“Sabemos que há ocorrências de violência nos condomínios, independente de classe social, e muitas vezes os casos não chegam a conhecimento do síndico, da polícia. A lei vem para proteger a mulher, a criança, o idoso e a pessoa com deficiência e obrigar que os responsáveis pelos condomínios façam a denúncia na polícia”, disse o deputado Marçal Filho.

Muitos condomínios já tem aderido à campanha de violência doméstica. “Precisamos fortalecer a ideia nos condomínios do senso de comunidade e conscientizar que este é um problema que deve ser combatido por todos. Neste sentido, o síndico tem um papel ainda mais fundamental, que passa a ser porta-voz e aliado na luta contra a violência doméstica no condomínio”, explica o deputado.

O síndico do Roma III, Antônio Marcos Severio de Souza, diz que a lei garante um respaldo para que os moradores possam denunciar os casos de violência. “É um trabalho em conjunto. Quando há ocorrência a gente sempre comunica a polícia, mas a Lei vem orientar e instruir a todos que devemos proteger as vítimas. Isso facilita e educa os condôminos”, afirma o síndico.

Como Denunciar

Em casos em que a violência esteja ocorrendo no momento, sendo possível ouvir gritos e pedidos de socorro: Ligue 190. Em casos que a situação tenha chegado ao conhecimento do síndico ou administrador do condomínio, a denúncia pode ser feita pelo 180, pelo site da Polícia Civil – Delegacia Virtual ou ainda pelo Aplicativo MS Digital, sem necessidade de comparecimento pessoal.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!