EXPEDIENTE
Urânio Iraniano

Irã insiste que pode enriquecer urânio a 90% de pureza

Fonte: PorParisa Hafezi

O Irã disse na quarta-feira que poderia enriquecer urânio com até 90% de pureza – grau de armamento – se seus reatores nucleares precisassem, mas acrescentou que ainda busca o renascimento de um acordo de 2015 que limitaria sua produção atômica em troca do levantamento das sanções.

A observação do presidente Hassan Rouhani é seu segundo comentário público neste ano sobre enriquecimento de 90% – um nível adequado para uma bomba nuclear – sublinhando a resolução do Irã de continuar rompendo o acordo na ausência de qualquer acordo para revivê-lo.

O maior obstáculo à produção de armas nucleares é a obtenção de material físsil suficiente – urânio ou plutônio altamente enriquecido para armas – para o núcleo da bomba.

O Irã diz que nunca procurou armas nucleares.

“A Organização de Energia Atômica do Irã pode enriquecer urânio em 20% e 60% e se um dia nossos reatores precisarem, ela pode enriquecer urânio com 90% de pureza”, disse Rouhani em uma reunião de gabinete, informou a mídia estatal iraniana.

O acordo nuclear limita a pureza físsil até a qual Teerã pode refinar urânio em 3,67%, bem abaixo dos 20% alcançados antes do pacto e muito abaixo dos 90% adequados para uma arma nuclear.

O Irã vem violando o acordo de várias maneiras depois que os Estados Unidos se retiraram do acordo em 2018, incluindo a produção de urânio enriquecido de 20% e 60%.

Rouhani, que entregará a presidência ao clérigo linha-dura Ebrahim Raisi em 5 de agosto, criticou implicitamente os principais tomadores de decisão do Irã por “não permitirem” que seu governo restabelecesse o acordo nuclear durante seu mandato.

“Eles tiraram a oportunidade de chegar a um acordo com este governo. Lamentamos profundamente ter perdido esta oportunidade”, disse Rouhani à agência de notícias estatal IRNA.

O líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, e não o presidente, tem a última palavra em todas as questões estaduais, como a política nuclear.

Como Khamenei, Raisi apoiou negociações indiretas entre Teerã e Washington com o objetivo de trazer de volta os arquiinimigos ao cumprimento total do acordo.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desistiu do acordo três anos atrás, dizendo que era tendencioso a favor do Irã, e reimpondo sanções paralisantes a Teerã.

A sexta rodada de negociações nucleares em Viena foi suspensa em 20 de junho.

A próxima rodada de negociações ainda não foi agendada, e autoridades iranianas e ocidentais disseram que lacunas significativas ainda precisam ser resolvidas.

Dois altos funcionários iranianos disseram à Reuters que o presidente eleito Raisi planejava adotar “uma linha mais dura” nas negociações após assumir o cargo, acrescentando que a próxima rodada pode ser retomada no final de setembro ou início de outubro.

Um dos oficiais disse que muitos membros da equipe nuclear do Irã podem ser substituídos por oficiais de linha dura, mas o negociador nuclear Abbas Araqchi ficaria “pelo menos por um tempo”.

O segundo oficial disse que Raisi planeja mostrar “menos flexibilidade e exigir mais concessões” de Washington, como manter uma rede de centrífugas de enriquecimento de urânio avançadas e insistir na remoção das sanções dos EUA relacionadas aos direitos humanos e terrorismo.

Trump colocou na lista negra dezenas de instituições vitais para a economia do Irã, usando leis destinadas a punir atores estrangeiros por apoiarem o terrorismo ou a proliferação de armas.

Remover o petróleo e as sanções financeiras é essencial se o Irã quiser exportar seu petróleo, o principal prêmio para Teerã por cumprir o acordo nuclear e controlar seu programa atômico.

Escrito por Parisa Hafezi; edição de Jason Neely, William Maclean
COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!