HADDAD FALA AO MATO GROSSO DO SUL VIA RÁDIO GLOBO

O presidenciável Fermando Haddad concedeu entrevista nesta sexta-feira (26/10) à Radio Globo – MS (95.3 FM), no Programa Café das 6 com Livia Machado e Michel Franco. A entrevista foi publicada nas páginas de rádios do estado, inclusive na página de Haddad. A fala do candidato atendeu ao pedido dos Juristas pela Democracia do Estado de Mato Grosso do Sul, em nome do integrante o professor da UFGD, advogado Tiago Botelho.

 

Fernando Haddad destacou que a proposta do seu oponente, de fundir o Ministério do Meio Ambiente com o da Agricultura, é um risco ao agronegócio do Centro-Oeste. “É uma proposta suicida, pois a Europa e os Estados Unidos não comprarão nossos produtos se o governo federal não respeitar as exigências internacionais com o meio ambiente. Nossos produtos tem certificação e precisam de um compromisso do Estado brasileiro com o meio ambiente. Só na cabeça de uma pessoa despreparada como Bolsonaro que uma coisa dessa pode dar certo”.

 

Haddad destacou a não participação do seu oponente em todos os debates presidenciáveis, inclusive no de hoje na Rede Globo, mesmo liberado pelo médico. Afirmou que “militar que foge, não honra a farda. O Brasil está correndo risco!”

 

POLÍCIA NACIONAL

 

A proposta de Haddad é o contrário de privatizar a segurança pública como diz seu oponente. “Essa proposta deu errado no mundo inteiro. A nossa é de inteligência. Dobrar o efetivo da Polícia Federal e fazer ela assumir a responsabilidade. A fronteira e os crimes organizados precisam de uma Polícia Nacional. Hoje ela não tem contingente”. Haddad diz que vai dobrar o quadro da Polícia Federal e enfrentar tal problema.

 

DESMATAMENTO LÍQUIDO ZERO

 

A respeito do conflito entre sem terra, indígenas e o agronegócio, Haddad destacou que os estudos mais avançados mostram que não é necessário mais desmatar para aumentar a produção. É preciso aumentar a produtividade da terra já desmatada. Para tal, o plano de governo prevê o desmatamento liquido zero que busca respeitar o Código Florestal. “Há uma parcela do Agronegócio altamente produtiva e que investe em insumos, fertilizantes, pesquisa biogenética, equipamentos e produções. Só que existe uma parcela do agronegócio que não produz, que simplesmente especula com a terra. Tem baixíssima produtividade”. Haddad diz que vai colocar pressão sobre o agronegócio que não produz, deixando bem claro que quer ajudar o agronegócio que produz. O que o candidato não quer é violência no campo.

 

IMPOSTO ZERO PARA ATÉ 5 SALÁRIOS MÍNIMOS E REFORMA BANCÁRIA

 

A respeito do mercado de trabalho, Haddad disse que a primeira medida a tomar como presidente será retomar as obras paradas pelo governo Temer. A outra coisa é colocar dinheiro na mão do povo, aumentando o poder de compra. Para tal, disse que vai retirar o pagamento de imposto de quem recebe até 5 salários mínimos e aumentar o bolsa família. Além disso, a proposta é fazer também uma grande reforma bancária, pois o alto juros do banco prejudica do trabalhador ao empresário. “Não dá para pagar 30% de juro ao ano”.

 

FOCO NO ENSINO MÉDIO

 

Fernando Haddad salientou que foi o Ministro da Educação que criou a Universidade Federal da Grande Dourados. E que o foco como presidente será o ensino médio, mesmo sendo responsabilidade dos estados. Haddad afirma que o governo federal vinculará as escolas de ensino médio aos Institutos Técnicos Federais para melhorar a qualidade.

 

Como Ministro, enfatizou que conseguiu melhorar o ensino fundamental e ampliar o acesso à educação infantil e à universidade. Disse que foi ele quem criou o Fies e o Prouni. Para o presidenciável, Bolsonaro faz uma proposta absurda que é o ensino fundamental e médio a distância. “Ao invés de ir para a escola, o aluno aprenderá na frente do computador.  Meu opositor não entende nada de educação. Ensino fundamental a distancia é proposta mais irracional que já ouvi em trinta anos como professor”.

 

REVOGAÇÃO DA EMENDA QUE CONGELA INVESTIMENTOS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO

 

Haddad afirmou que a comunidade cientifica inteira o apoia, uma vez que  suas propostas vão de encontro aos anseios dos pesquisadores. Bolsonaro e Temer aprovaram a PEC que não pode investir recursos em saúde e educação por 20 anos. Haddad disse que vai acabar com essa PEC em janeiro para o país voltar a ter pesquisa.

 

FAKE NEWS

 

A respeito das fake news, Haddad disse, como exemplo, que algumas igrejas evangélicas já descobriram que Bolsonaro está mentindo pelo Whattasp. Para o presidenciável, quem acredita em Jesus Cristo e lê a bíblia não compactua com a mentira. Ele alegou, portanto, que na última pesquisa muitos evangélicos aderiram à sua campanha. “Mesmo tendo sido condenado pela Justiça Eleitoral por fake news, o seu opositor não para de falar mentira”.

 

DERROTA SOBRE A MENTIRA

 

Confiante, Fernando Haddad disse aos ouvintes que até domingo virará e ganhará as eleições derrotando a mentira. Ressaltou que seu opositor ofende mulher, negro, gay, indígena e nordestino. “Cada vez que abre a boca, ele ofende alguém”. Exemplificando, disse que essa semana Bolsonaro ofendeu nordestino e mulher mandando pararem de se fazerem de coitados. “É uma pessoa que só abre a boca para falar ofensa. Os brasileiros não vão se deixar desrespeitar. Não vão se deixar levar pelo discurso do ódio e da mentira”.

 

Para finalizar, Haddad disse ser um professo, cidadão brasileiro e trabalhador com carteira assinada. Que honrou seu papel como professor e Ministro da Educação. Portanto, está certo que corrigirá o que foi feito de errado e seguirá os muitos acertos.

 

Haddad fala com a Rádio Globo do Mato Grosso do Sul #horadavirada #vote13 #voteHaddad

Posted by Fernando Haddad on Friday, October 26, 2018

 

fonte: Assessoria da Frente Juristas pela Democracia MS.

Facebook: Comente Aqui