EXPEDIENTE
Pistoleiro

Pistoleiro foragido da operação Omertà é morto em troca de tiros em Florianópolis

Fonte: por Geisy Garnes, do Campo Grande News

Troca de tiros em Florianópolis terminou com a morte de Thyago Machado Abdul Ahad, investigado pela Operação Ormetà como pistoleiro do grupo criminoso liderado por Fahd Jamil, o “Fuad”, na manhã desta sexta-feira (9). O suspeito estava foragido de Mato Grosso do Sul pelos crimes de homicídio e organização criminosa.

Segundo apurado pela reportagem, o confronto aconteceu com equipes da CORE (Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais) da Polícia Civil de Santa Catarina. Detalhes ainda não foram divulgados pela polícia.

Conhecido como “Thyaguinho”, o suspeito é procurado pela força-tarefa que investiga execuções em Mato Grosso do Sul desde a terceira fase da operação, realizada em julho do ano passado. Antes disso, ele já era foragido da justiça sul-mato-grossense por assassinato durante briga Ponta Porã.

Natural de Ponta Porã, ele é da família de Fahd Jamil e Flavio Correia Jamil Georges, o “Flavinho”, ambos também investigados pela Ormertà. Thyago é apontado como um dos pistoleiros do grupo de extermínio liderado pelos parentes da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Juntos, os três respondem a dois processos oriundos da força-tarefa.

Nas investigações foi relacionado também como ex-pistoleiro de Jorge Rafaat Toumani, que foi executado em 2016, além de possível executor de Orlando Fernandes, conhecido como Bomba, e Cláudio Rodrigues de Souza, o Meia-Água, morto em São Paulo.

Em Campo Grande, as buscas por Abdul Ahad resultaram na abordagem a Flavio Correia Jamil Georges, em abril de 2019. Na data, a DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio) recebeu informações de que Thyago estava em Campo Grande com a mesma caminhonete que circulada em Pedro Juan Caballero.

A denúncia levou as equipes até uma padaria, onde foram parados “Flavinho” e outros três homens. O episódio, segundo depoimento feito à Justiça, levou a remoção do delegado responsável pela delegacia Carlos Delano e revelou a influência dos investigados na operação dentro da polícia do Estado.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!