EXPEDIENTE
Em ato covarde de intolerância religiosa, criminosos queimaram a casa de reza do povo Guarani-Kaiowá durante a madrugada_

Fábio Trad exige “providências enérgicas” contra incêndio criminoso ao povo Guarani-Kaiowá

Fonte: Assessoria

Barbárie. Esta é uma das palavras que melhor definem o ato criminoso cometido no final do mês passado (29/12/2021) contra a religião do povo Guarani-Kaiowá.

 

Numa atitude perversa e extremamente covarde, por volta das 2h da madrugada, a oga pysy/casa de reza foi incendiada no meio da madrugada, no momento em que crianças e idosas dormiam. Por sorte, todos conseguiram escapar.

 

O atentado ocorrido em tekoha, município de Douradina, Mato Grosso do Sul, comprova a absurda “intolerância religiosa contra a religião, memória e patrimônio coletivo do povo Guarani Kaiowá”, disse Aty Guassu em nota pública divulgada após a barbárie.

 

“Os rezadores(as) Nhaderu e Nhandesy sofrem cercos frequentes e ameaças de morte por praticar a religião do povo Guarani-Kaiowá. Em 2011 foram incendiadas cinco oga pysy – casas de reza Guarani-Kaiowá”, denunciou ele, que novamente reivindicou novamente uma séria investigação com o objetivo de punir os mandantes e autores dos crimes cometidos contra o patrimônio coletivo do Kaiowá.

 

Indignado com o atentado e com a triste situação dos povos originários, o deputado Fábio Trad afirmou já estar tomando “urgentes e enérgicas providências”.

 

“Trata-se de um ato de extrema crueldade, portanto não pode ficar assim. Encaminhamos ofícios a todos os órgãos responsáveis, como a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, a Funai e o Incra, para que tomem providências práticas e urgentes contra todos os envolvidos nessa barbárie”, disse o parlamentar.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!