Inter de Milão enfim encerrou um longo jejum na Copa da Itália.

 

E foi com emoção! Nesta quarta-feira (11), no Estádio Olímpico de Roma, na capital italiana, os Nerazzurri voltaram a levantar a taça da competição após Derby D’Italia épico contra a Juventus na decisão.

 

Após abrir o placar e levar virada da rival, a equipe foi buscar e venceu por 4 a 2, na prorrogação.

 

A equipe de Milão voltou a conquistar o título após um longo jejum de 11 anos, que durava desde a temporada 2010/11, e chegou à sua oitava conquista, apenas uma atrás da Roma, com 9 títulos.

 

Este foi o segundo título da Inter na temporada, após a conquista da Supercopa da Itália, e a equipe ainda briga por uma terceira taça: o Campeonato Italiano.

Já a Juventus, que era a atual campeã, segue na dianteira entre os maiores vencedores da Copa da Itália, com 14 conquistas. Por outro lado, pela primeira vez em anos, encerrará uma temporada sem nenhum título.

 

O placar foi aberto com apenas 6 minutos de bola rolando em Roma.

 

Em chegada pela esquerda, Brozovic tocou para Barella, que carregou a bola até o meio e, na entrada da grande área, finalizou com primazia, marcando um golaço e fazendo 1 a 0.

 

Juve só respondeu com mais perigo a partir dos 23 minutos, após bola mal recuada por Handanovic.

 

A equipe alvinegra recuperou a bola, Vlahovic recebeu no ataque, entrou na área e bateu forte.

 

Atento, o goleiro esloveno fez grande defesa e salvou a Inter de levar o empate.

 

O arqueiro da Inter voltou a trabalhar aos 29 minutos, defendendo cabeçada perigosa após cobrança de escanteio.

 

No lance seguinte, a Juventus assustou novamente, mas Handanovic só fez golpe de vista.

Aos 40 minutos, a Juventus teve uma baixa importante no jogo. Por questões físicas, o lateral-direito Danilo precisou ser substituído, deixando o campo visivelmente chateado, e o técnico Massimiliano Allegri colocou o atacante Álvaro Morata e recuando Cuadrado para a posição do brasileiro.

 

Inter leva virada ‘épica’, mas busca empate e vence na prorrogação

Se no primeiro tempo a Inter de Milão foi quem saiu na frente, nos 45 minutos finais a Juventus tomou a rédea da decisão e conseguiu uma virada épica.

 

E o gol de empate saiu logo aos 5 minutos. Alex Sandro soltou um ‘pombo sem asa’ de fora área, a bola ainda desviou em Morata e enganou Handanovic, que chegou a tocar na bola, mas a deixou passar. O gol foi dado para o brasileiro.

 

Dois minutos mais tarde, em contra-ataque fulminante, Dybala tocou para Vlahovic, que dominou, entrou na área e bateu para o gol. Handanovic defendeu, mas no rebote o sérvio colocou para dentro e fez 2 a 1 para a Velha Senhora.

 

Aos 33 minutos, quando a vitória já parecia encaminhada para a Juventus, Bonucci derrubou Lautaro Martínez na área, e o árbitro marcou pênalti para a Inter de Milão.

 

Na cobrança, Çalhanoglu bateu forte, e no alto, e deixou tudo igual em Roma: 2 a 2.

 

Nos acréscimos, Inzaghi tirou Lautaro do time, e o argentino deixou o campo com cara de poucos amigos, resmungando bastante.

 

Como o empate no placar persistiu até o fim dos primeiros 90 minutos, a decisão foi para a prorrogação.

 

No tempo extra, com as ausências e Lautaro e Çalhanoglu, quem brilhou foi Ivan Perisic, que marcou dois gols e levou a Inter de Milão ao título.

 

O primeiro gol foi marcado aos minutos do primeiro tempo da prorrogação, após de Vrij ser derrubado dentro da área, e o árbitro assinalar um segundo pênalti a favor da equipe. Na cobrança, o croata bateu bem e fez 3 a 2.

 

Logo em seguida, aos 12 minutos, o atacante voltou a estufar as redes, após dominar na entrada da área e soltar a bomba, para fazer o 4 a 2.

 

O cara: Ivan Perisic

O atacante croata começou a decisão tendo uma atuação apagada, mas foi o grande herói do título da Inter.

 

Após as saídas de Lautaro e Çalhanoglu, ainda nos acréscimos do 2° tempo, assumiu o protagonismo e balançou as redes duas vezes na prorrogação, levando a sua equipe à conquista.

 

Mais uma vez mostrou a sua importância nos Nerazzurri, equipe que defende as cores desde 2015.

Que papelão!

Técnico da Juve, Massimiliano Allegri foi expulso na prorrogação, após reclamar sem parar a partir do momento que o árbitro checou, junto ao VAR, o segundo pênalti a favor da Inter.

 

Primeiro, foi advertido com o cartão amarelo, mas seguiu reclamando e, logo em seguida, foi expulso.

Recorde de bilheteria na Copa da Itália!

Todos os 68 mil ingressos colocados à venda para a decisão foram esgotados, lotando o histórico Estádio Olímpico de Roma.

 

E o público em peso também trouxe um recorde na competição: a bilheteria de 5 milhões de euros (R$ 27,1 milhões na cotação atual).

 

Premiação generosa

Campeã da Copa da Itália, a Inter faturou 4,5 milhões de euros (R$ 24,4 milhões), enquanto a Juve, vice-campeã, 2 milhões de euros (R$ 10,8 milhões).

 

Além disso, a Inter pode embolsar mais 3 milhões de euros (R$ 16,2 milhões), que serão colocados em jogo na disputa da Supercopa da Itália, logo no início da temporada 2022/23.

Próximos jogos

Ainda na briga pelo título do Campeonato Italiano, a Inter de Milão volta a campo pela competição no domingo (15), a partir das 15h45, para compromisso fora de casa contra o Cagliari, válido pela penúltima rodada.

 

Já garantida na Champions League, mas sem chance de título na Serie A, a Juventus só volta a campo na segunda-feira (16), também pela penúltima rodada, e recebe a Lazio em Turim.

 

Ficha técnica

Juventus 2 x 4 (0 x 2 pro.) Inter de Milão

GOLS: Inter: Barella (6′ 1°T), Çalhanoglu (35′ 2°T) e Perisic (9′ 1°T pro. e 12′ 1°T pro.); Juventus: Alex Sandro (5′ 2°T) e Vlahovic (7′ 2°T).

 

JUVENTUS: Perin; Danilo (Morata), Chiellini (Arthur), de Ligt e Alex Sandro (Pellegrini); Cuadrado, Zakaria (Locatelli), Rabiot e Bernardeschi (Bonucci); Vlahovic e Dybala (Kean). Técnico: Massimiliano Allegri.

 

INTER: Handanovic; Skriniar, de Vrij e D’Ambrosio (Dimarco/ Bastoni); Darmian (Dumfries), Barella, Brozovic, Çalhanoglu (Vidal) e Perisic; Dzeko (Joaquín Correa) e Lautaro Martínez (Alexis Sánchez). Técnico: Simone Inzaghi.