EXPEDIENTE
Propina por Vacina

Em carta, CPI pede que Bolsonaro se manifeste sobre falas de Luís Miranda

Fonte: Por Guilherme Mendes, do Congresso em Foco

Em uma comunicação oficial endereçada ao presidente da República, Jair Bolsonaro, a CPI da Covid pede que o presidente da República desminta ou confirme, de maneira pública, as declarações feitas pelo deputado Luís Miranda (DEM-DF) à comissão.

O deputado indicou que Bolsonaro sabia de irregularidades na compra da vacina Covaxin, mas não teria agido para impedir ou pedido investigações.

Veja a íntegra da carta:

“Tomamos esta medida de maneira formal, tendo em vista que hoje, após 13 dias, Vossa Excelência não emitiu qualquer manifestação afastando, de forma categórica, pontual e esclarecedora, as graves afirmações atribuídas à Vossa Excelência, que recaem sobre o líder de seu governo”, pontua a carta, lembrando que Bolsonaro teria indicado o nome de Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, como líder do esquema.

A inação do presidente, de acordo com a CPI, ajuda não apenas a piorar a imagem pública de Ricardo Barros, mas também impede que se puna Luís Miranda, caso as informações por ele passada sejam falsas.

O texto é assinado por Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI, que pede a Bolsonaro que “se posicione, de maneira clara, cristalina, republicana e institucional, inspirando-se no Salmo tantas vezes citado em suas declarações em jornadas pelo País: ‘Conheceis a verdade e a verdade vos libertará'” (a citação é, na verdade, do livro de João).

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!