EXPEDIENTE
Defesa da democracia

Com democracia em risco, mais de 2 mil pessoas vão as ruas por defesa de direitos em Campo Grande

Fonte: Por Edivaldo Bitencourt Do Site O Jacaré

Em meio a ameaça de militares de dar golpe de estado para retomar a ditadura no Brasil, cerca de 2 mil pessoas, segundo a organização, foram às ruas em mais um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em Campo Grande. Apesar de ter ganhado força em relação à manifestação realizada no início deste mês, a passeata ainda não empolgou o campo-grandense.

Convocados pelos movimentos sociais, sindicatos, partidos de esquerda e organizações não-governamentais, a mobilização começou às 9h na Praça do Rádio e percorreu a Avenida Afonso Pena e as ruas 14 de Julho, Marechal Cândido Mariano Rondon e 13 de Maio. Os manifestantes levaram cartazes e faixas de protesto contra a reforma administrativa, a privatização dos Correios e a corrupção na gestão de Bolsonaro.

“Foi uma belíssima passeata, com a participação de mais de duas mil pessoas”, avaliou o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) em Mato Grosso do Sul, Vilson Gregório. Ele destacou que a população deu apoio à manifestação. “Vamos para a rua contra esse Governo genocida”, ressaltou, responsabilizando Bolsonaro pelas mais de 540 mil mortes causadas pela covid-19 no Brasil.

De acordo com Gregório, a população quer vacina no braço e comida no prato. Ele lamentou que os integrantes do Governo Bolsonaro tenham negociando propina e superfaturado a compra da vacina enquanto milhares de brasileiros morreram por falta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), vacina e prevenção.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!