Clínica veterinária é alvo de críticas e reclamações nas redes sociais

Clínica Veterinária Dr. Marcelo Rezende,  tem sido alvo de inúmeras  críticas e reclamações nas redes sociais, postadas por proprietários de pets que denunciaram terem sido mal atendidos e que seus animais de estimação “sofreram” nas mãos de profissionais da empresa em questão, que, aliás, possui dois endereços, um em Ponta Porã e outro em Pedro Juan Caballero.

Os relatos dos episódios narrados pelos internautas tem sido acompanhada através das redes sociais.

Sugere-se às pessoas que por ventura necessitem de atendimento médico-veterinário para seus pets, que consultem o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado (CRMV/MS), no endereço www.crmvms.org,br, onde é possível conferir em que modalidade a empresa está cadastrada: clínica, ou consultório. Isso, porque nos consultórios, os veterinários só podem oferecer consultas e vacinações. As cirurgias só podem ser realizadas em clínicas, que precisam ter instalações e equipamentos diferenciados e próprios para as intervenções e cujos registros e fiscalizações são muito mais rígidos e específicos, inclusive no que se referem a taxas, impostos e contribuições sindicais.

 

 

A Clínica envolvida

Consultada a respeito dos fatos, o proprietário da clínica, o médico veterinário Marcelo Rezende disse que vem sendo alvo de perseguição, inclusive através de procedimentos jurídicos, onde a clínica é acusada, inclusive, de contrabando de vacinas e a ONG ligada a clínica não seria reconhecida pelo Conselho Regional de Medicina Verterinária

“Estão me acusando até de contrabandear vacinas. Mas, veja bem: nós temos uma ONG (organização não governamental) que cuida de animais abandonados e que recebe doações. Agora, se alguém me doar uma caixa de vacinas, onde você acha que a pessoa vai comprar? No Brasil, onde custa R$ 50, ou no Paraguai, onde custa R$ 10?” – disse Rezende, admitindo que “eventualmente algum erro pode ter sido cometido, afinal, somos humanos e cometemos erros, mas não nas proporções que estão sendo alarmadas, nem com a frequência e com o descaso que comentam”.

Ele garantiu que sua empresa é registrada como clínica, revelando que “dos 11 estabelecimentos que atuam na cidade, somente três são registrados como clínicas e podem proceder a cirurgias”. E disse mais: “este alarde todo é porque meus concorrentes não têm o equipamento, a quantidade de profissionais e as instalações que nós temos, com bisturis elétricos, raios-x e ultrassom”.

“Cuidamos até de animais silvestres feridos, capturados fora de seu habitat natural, ou vítimas do tráfico de animais, como é o caso de um gavião que nos foi trazido pela Polícia Militar Ambiental e está sob nossos cuidados até que possa ser transferido para o centro de recuperação”, completou o veterinário, que se colocou à disposição dos incomodados e da população em geral para quaisquer esclarecimentos adicionais.

*Com informações do jornalista Edmondo Tazza

Facebook: Comente Aqui