CONTATO
EXPEDIENTE
Feminicídio em Ponta Porã

Assassino de mãe e filha cuspiu no rosto e ameaçou matar mulher há 1 mês

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
Fonte: Por Helio de Freitas do CAMPO GRANDE NEWS

Denúncia contra Antônio César foi feita por Naila Vitória Rodrigues, então companheira dele.

Antônio César Cavalheiro Soares, até agora único suspeito de ter matado a tiros a ex-companheira Naila Vitória Rodrigues, 20, e a mãe dela, Erika Rodrigues Salomão, 39, hoje (4) em Ponta Porã (a 323 km de Campo Grande), já havia dito que mataria a jovem se ela o deixasse.

A ameaça está em boletim de ocorrência registrado por Naila no dia 1º de abril deste ano. Na denúncia à Polícia Militar, Naila contou que Antônio a chutou, cuspiu em seu rosto e disse que a mataria se ela fosse embora para a casa da mãe.

Conforme o boletim de ocorrência ao qual o Campo Grande News teve acesso, Naila Vitória avisou a Polícia Militar sobre a violência praticada pelo então companheiro e se dirigiu ao 4º Batalhão da PM em Ponta Porã, onde foi atendida.

Ela contou que morava com Antônio em Pedro Juan Caballero – cidade paraguaia separada de Ponta Porã apenas por uma rua. O casal tinha um filho de cinco meses.

Naquele dia, Naila disse que foi ameaçada pelo companheiro. Motivado por ciúmes, Antônio teria desferido chute na mulher e cuspido em seu rosto.

Naila contou ter dito ao homem que pegaria suas coisas e iria embora para a casa de sua mãe, no bairro Kameel Saad. Entretanto, Antônio a ameaçou dizendo que se fosse embora e tentasse acionar a polícia, ele a mataria.

A mulher narrou aos policiais que logo após a ameaça, Antônio pegou o filho do casal e seguiu para o lado brasileiro da fronteira em seu carro Toyota preto com placa do Paraguai. Acompanhados por Naila, os policiais chegaram a fazer rondas na linha internacional, mas não conseguiram localizar o suspeito.

Segundo a ocorrência, Naila foi então levada para a casa da mãe e orientada a formalizar a queixa na Delegacia de Atendimento à Mulher, além de registrar o fato na Polícia Nacional no Paraguai. Entretanto, ela não procurou a Polícia Civil.

Hoje cedo, Antônio cumpriu a ameaça. Foi até a frente do Hospital Regional de Ponta Porã onde Naila trabalhava e a matou a tiros na calçada. Depois seguiu até a loja 2 do Supermercado Sol, a mil metros do hospital, e matou Erika com tiros na cabeça enquanto a mulher arrumava gôndolas de frutas e verduras.

O Toyota preto usado por Antônio para chegar aos locais dos crimes foi abandonado na casa de uma ex-mulher dele no bairro Ipê II. O veículo já foi apreendido. Os policiais da fronteira estão à procura de Antônio, que teria usado uma moto estrangeira com placa do Paraguai para continuar a fuga.

O filho do casal está com parentes. Logo após os dois assassinatos, policiais foram até a casa de Erika e resgataram a filha dela, de 12 anos, entregue ao serviço social do município, pois havia temor de que Antônio também tentasse matar a menina. –

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
LEIA TAMBÉM!!!