EXPEDIENTE
Feminicídio em Campo Grande

Assassino de Jackeline já tentou abusar da cunhada

Fonte: Por Vinicius Costa Do Top Midia News

O feminicídio contra Jackeline da Costa Melo, de 22 anos, morta pelo companheiro Edielson Santos Vidal, de 31 anos, não foi o único relato que causou raiva na família. O perfil abusador também foi levantado após declarações da irmã da vítima.

A cunhada de Edielson relatou ao site F5 News, de Aracaju, que esse perfil foi desmascarado ainda quando o acusado morou com Jackeline, na casa da família. Segundo ela, a violência doméstica era só um dos problemas do acusado, que era abusador e havia cometido até extorsão.

“Um relacionamento abusivo e tóxico. Ele agrediu ela por diversas vezes e me perseguia. Ele me assediou várias vezes, ameaçou a minha família, extorquiu um carro, extorquiu a minha avó”, disse a irmã.

A tia tentou alertar sobre esses incidentes causados pelo companheiro, mas, em dado momento, a vítima chegou a parar de falar com os familiares, por conta dessa pressão.

“Ele exercia um domínio psicológico sobre ela e ainda levou ela para longe, onde tinha o domínio completo, a família não tinha nenhum ponto de contato”, lamentou a tia.

O corpo da jovem será cremado e as cinzas serão levadas para Campo Grande. Conforme o tio da jovem moça, “a família está muito abalada, ela era uma menina muito alegre, amorosa”. “A gente não entende como ela deixou tudo para viver aqui”.

Aviso

Jackeline da Costa já havia revelado para a família, que mora em Campo Grande, sobre as agressões do esposo. Ela contou que ‘’iria voltar correndo’’ para a Capital de MS.

O alerta de Jack aos parentes consta em um print de conversa de WhatsApp. Essas conversas foram exibidas nesta sexta-feira (20), no perfil da tia da vítima, no Facebook.

“Gente, amanhã vou voltar correndo para Campo Grande. O Edielson me agrediu”, contou a campo-grandense a uma familiar.

Bárbaro 

Jackeline, que estava grávida de oito meses, foi morta pelo marido, Edielson Santos Vidal, 31 anos, na madrugada de quinta-feira (19), na casa onde moravam, no bairro Robalo, expansão de Aracaju (SE). Segundo a polícia local, vizinhos ouviram gritos da vítima, de madrugada, e acionaram socorro.

Assim que a polícia chegou ao local, a vítima já estava morta e degolada. Segundo a imprensa local, Edielson deixou a casa após o crime, mas retornou instantes depois e foi preso. A alegação do criminoso é que a esposa o teria traído.

O delegado que comanda o caso, André Baronto, disse que, durante depoimento, o assassino não demonstrou arrependimento pelo crime bárbaro.

O acusado passou por audiência de custódia na sexta-feira (20) e a prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!