EXPEDIENTE
Salário dos temporários foi reduzido em 2019 e ficou até 53% menor do que dos concursados

Após intermédio de Amarildo Cruz, professores convocados recuperam 34% do salário

Fonte: Assesoria

Após intermédio dos deputados estaduais Amarildo Cruz e Pedro Kemp, do PT, os professores convocados da rede estadual de ensino recuperaram 34% do salário. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (23) pelo governador Reinaldo Azambuja, ao presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), Jaime Teixeira.

A redução foi anunciada pelo Governo do Estado em 2019, levando a uma diferença de remuneração entre convocados e efetivos. “Eu acho um absurdo isso: um convocado dar a mesma quantidade de aulas, o mesmo tempo, a mesma matéria, tem que ter o mesmo preparo do que o servidor professor efetivo. E, no entanto, ele chega a ganhar até 53% a menos de salários”, afirmou Amarildo Cruz.

Defensor da educação pública de qualidade e da valorização do servidor, o deputado envidou esforços para melhorar a situação dos professores. No dia 27 de janeiro, a bancada do PT se reuniu com o Secretário de Governo, Eduardo Rocha, para debater o assunto. Desde então, o diálogo com a categoria avançou e proposta para recuperação do salário foi apresentada.
Parte do pagamento será feita em duas partes, 20% em fevereiro e 14% em abril. A recomposição irá beneficiar aproximadamente 9.200 profissionais.

Para o presidente da Fetems, a reposição representa comprometimento de Mato Grosso do Sul com a qualidade da educação. “É um compromisso com a educação pública. O nosso salário é o melhor para o efetivo e, agora, o governador diminui a distância para o convocado”, afirmou Jaime Teixeira.

Os professores convocados reivindicam a realização de concurso público para o magistério e justiça para os aposentados, com a apresentação de uma contrarreforma da previdência.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
COMENTE AGORA MESMO!