CONTATO
EXPEDIENTE
Crise no PSL

Após ficar sem a candidatura a prefeito, Trutis também perde comando do PSL

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
Fonte: Por Edivaldo Bitencourt, de O Jacaré

O deputado federal Loester Trutis (PSL) continua vivendo o inferno astral. Após ter a candidatura a prefeito de Campo Grande rejeitada pela Justiça, ele perdeu o comando do diretório municipal do partido. Nesta segunda-feira (12), o Tribunal Regional Eleitoral negou pedido de liminar para ele retornar ao comando do diretório municipal da sigla. Sem cargo, ele perde o poder para lutar para ser candidato ou atrapalhar o vereador Vinicius Siqueira, candidato a prefeito pelo partido.

O mandado de segurança foi negado pelo juiz plantonista Juliano Tannus, do TRE-MS. No entanto, o pedido do polêmico parlamentar ainda será analisado pelo plenário da corte. Trutis foi destituído pela segunda vez no dia 2 deste mês.

Na disputa com a senadora Soraya Thronicke, presidente estadual do PSL, ele sofreu duas derrotas. Ela garantiu a escolha do seu candidato a prefeito, Vinicius Siqueira, e conseguiu tirar Trutis da presidência da Comissão Provisória.

O deputado foi afastado pela primeira vez no dia 14 de setembro deste ano, no dia seguinte à convenção, que o teria escolhido como candidato a prefeito. A direção nacional interveio e garantiu o retorno de Trutis ao comando do partido.

No entanto, a juíza Joseliza Alessandra Vanzela Turine, da 44ª Zona Eleitoral, anulou os votos dos suplentes e declarou Siqueira como candidato a prefeito. Trutis se recusou a cumprir a sentença da Justiça Eleitoral. Soraya não só o afastou do comando, como conseguiu sepultar a candidatura de Trutis. O novo presidente municipal do partido, Paulo Matos Pinheiro, registrou a candidatura de Vinicius Siqueira e desistiu de qualquer recurso.

Desta vez, o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, não socorreu Trutis. Então, o deputado decidiu recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral para retornar ao comando do diretório municipal. No entanto, de acordo com o juiz, ele não provou se houve apuração ou cerceamento do direito à ampla defesa.

O curioso é que Trutis recorreu à Justiça Eleitoral, cuja sentença, determinando o registro da candidatura de Vinicius Siqueira, ele se negou a cumprir. De acordo com o magistrado, a nova substituição ocorreu exatamente por isso, porque o deputado se recusou a acatar ordem judicial. Ele deverá ser submetido à comissão de ética do PSL por causa desse comportamento.

Na semana passada, Trutis gravou um vídeo, distribuído nas redes sociais, em que atacou Vinicius e Soraya. Ele disse que a senadora o afastou para nomear o primo no comando do PSL na Capital.

Fora do comando do partido, o deputado fica sem a gerência do fundo partidário, o segundo maior, e do Fundo Especial Eleitoral. A Justiça Eleitoral também rejeitou o registro da candidatura de Trutis a prefeito da Capital.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
LEIA TAMBÉM!!!