EXPEDIENTE
Organização criminosa

Acusado de chefiar narcotráfico na fronteira é esposo de vereadora do PSDB em Ponta Porã

Fonte: Por Midiamax

O brasileiro Celso Eni Mendes dos Santos, brasileiro de 38 anos, acusado de financiar a entrada das cargas ilícitas no país, preso nesta terça-feira (6), em uma operação da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, é companheiro da vereadora do PSDB, Kamila Alvarenga, conhecida por ser a “preferida” do prefeito Hélio Peluffo, o que causou crise interna no PSDB em 2020. Celso tem passagens por violência doméstica, lesão corporal dolosa e porte ilegal da arma de fogo.

Apesar de na declaração à Justiça Eleitoral a vereadora informar que é solteira, constam boletins de ocorrência de violência doméstica em nome dela contra o acusado. Kamila também declara nas redes sociais ser ‘esposa’ e ‘cristã’, apesar de negar, por contato telefônico, ser casada. Em conversa com a reportagem do Midiamax, a parlamentar afirmou que nunca foi companheira do acusado.

Celso tem passagens por violência doméstica, lesão corporal dolosa e porte ilegal da arma de fogo. Contra ele, a vereadora já havia registrado dois boletins de ocorrência por violência doméstica, sendo que um dos registros em 2007, Kamila estava grávida e foi agredida com puxões de cabelos e chutes por Celso. A Operação Reflexo, em Pedro Juan Caballero, foi uma ação de combate ao crime organizado, voltado para o tráfico internacional de drogas, sendo que quatro pessoas foram presas, entre elas Celso Eni.

Informações da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, são de que a ação era uma continuação da Operação Gredos, feita em junho. Foram detidos Celso Eni Mendes dos Santos, brasileiro de 38 anos, acusado de financiar a entrada das cargas ilícitas no país, e os três paraguaios Julio Cesar Cáceres Espínola, de 36 anos, operador logístico da organização, Eugenio Gomez Jara, 68 anos, responsável por intermediar entre compradores e traficantes do lado brasileiro e Willian Ramón González, 28 anos, operador logístico.

A ação foi realizada por quatro promotores paraguaios e, com Celso, foram apreendidos R$ 53 mil, além de 4.200 dólares. A operação é um desdobramento da apreensão de mais de 400 quilos de maconha no Paraguai. A droga, que entraria no Brasil, foi apreendida enquanto era transportada de uma cidade a outra e 5 pessoas foram presas.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!