EXPEDIENTE
Ferramenta que facilitanegociações tem sido usada para golpe por "espertalhões", segundo ACEPP

ACEPP alerta para ocorrência de golpe com o PIX

Fonte: Assessoria

A Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã (ACEPP) está alertando o comércio e à população sobre a ocorrência de uma nova modalidade de estelionato na praça: o golpe do PIX.

 

Criminosos estão se aproveitando das novidades dessa transação financeira para ludibriar empresários.
Conforme explica o presidente da Faciap, Fernando Moraes, o golpe ocorre mediante um agendamento de PIX para pagamento de uma compra.

 

O golpista faz o agendamento do PIX para pagar uma compra e o empresário que recebe o comprovante pensa que a conta está paga e entrega a mercadoria.

 

Na sequencia o golpista cancela o agendamento e deixa o empresário no prejuízo, explica Fernando, ao destacar que os empresários devem ficar atentos para ver se o comprovante é de pagamento ou de agendamento.

O aviso foi endereçado à ACEPP pela Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap).

 

E se cair no golpe?

 

A advogada Caroline Taborda Dallegrave, coordenadora do Departamento Jurídico da Faciap, diz que se trata de um crime de estelionato e orienta as vítimas para que coletem todas as informações possíveis, como nome, comprovante do agendamento do PIX, número de telefone e outros dados possíveis e procure a delegacia de polícia para fazer um boletim de ocorrência.

 

E, com o registro policial em mãos, a vítima também pode entrar em contato com a instituição financeira para buscar as alternativas para ser ressarcida.

 

O que é PIX

 

É um meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.

 

O Pix pode ser realizado a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.

 

Além de aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos, o Pix tem o potencial de: alavancar a competitividade e a eficiência do mercado; baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes; incentivar a eletronização do mercado de pagamentos de varejo; promover a inclusão financeira; e preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população. (…) com o Pix, não é necessário saber onde a outra pessoa tem conta.

 

Você realiza a transferência a partir, por exemplo, de um telefone na sua lista de contatos, usando a Chave Pix. Outra diferença é que o Pix não tem limite de horário, nem de dia da semana e os recursos são disponibilizados ao recebedor em poucos segundos.

 

O Pix funciona 24 horas, 7 dias por semana, entre quaisquer bancos, de banco para fintech, de fintech para instituição de pagamento, entre outros.” Recentemente, o Banco Central limitou o valor da transferência para no máximo R$ 1.000 no horário das 20h às 6h.

COMPARTILHE AGORA MESMO!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no skype
COMENTE AGORA MESMO!